Simone Romanelli fala sobre projetos de governo

10/20/2020

02:23:06 PM

Eleições


O Programa Manhã regional recebeu na manhã desta segunda-feira (19) Simone Romanelli, A Mulher do Asylo, candidata ao cargo de Prefeito do Rio Grande pelo Partido Liberal na coligação PL . Veja os principais pontos abordados em cada tema proposto.


SAÚDE

"É um momento bem complicado. Veja que há quatro anos a grande população preocupação era com educação e segurança, veio a Covid -19 e os olhares são outros, por desencadear tudo que há de ruim no país todo. Fica complicado de falar sem saúde sem falar em Covid, sem falar nessas barreiras sanitárias que não estão acontecendo de forma concreta. Vale lembrar que já está baixando dentro do Rio Grande e no País, mas já estamos vendo a segunda onda acontecendo pela Europa. Precisamos nos preocupar com o atendimento dentro da Santa Casa, principalmente com o pronto socorro. É dinheiro vindo do Município, então é necessário uma auditória para que as pessoas entendam. A nova administração precisará ter uma preocupação eminente com a saúde.

Outro ponto que não podemos deixar de nos preocupar é com as pessoas que estão em fila de consultas e exames. Uma pessoas que está com sua saúde em grave não tem condição de esperar cinco, seis meses. Precisamos fazer mutirões, termos prontuários eletrônicos. Eu não posso fazer um exame e não chegar na Santa Casa e Santa Casa, é preciso integralidade."


EDUCAÇÃO

"Outro ponto dentro da cidade que não é nem de esquerda e nem de direita. É um ponto que qualquer pessoa vai reclamar. Os diretores têm reclamado da precariedade dos prédios. Obras em curso, precisam ser acabadas, muita obra que começa e não tem meio nem fim. Temos muitas escolas assim, como a Quinta. Quando isso acaba? Quando a comunidade vai ter isso entregues?

Muitas vezes as diretoras acabam saindo do seu trabalho de diretora para fazer quermesse, rifas e eventos para conseguir dinheiro para manter o básico das escolas. Precisamos encontrar um fundo para sanar esse problema. Salário é outra questão grave. Eles querem piso. Não vai ser isso, eu Simone Romanelli, que não tenho acesso às contas do Município, que vou dizer nós vamos prometer. Precisamos conversar e, durante os quatro anos de governo, vamos tentar chegar ao piso.

Para finalizar, estamos no século XXI, as crianças precisam ter acesso à internet, ao wi-fi. A pouco fui questionada sobre o retorno das aulas, respondi que não, mas como vamos ter aula on-line se a maioria dos alunos não têm acesso à internet? Assim como precismos de ruas com wi-fi livre, dentro da escola também é fundamental."


SEGURANÇA

"Segurança é tríplice junto com educação e segurança. A Guarda de Trânsito e a Guarda Municipal precisam estar integrados, não podemos ter a secretaria de mobilidade urbana coordenando algo tão sério. A Secretaria de Segurança que queremos criar, terá que estar diretamente ligada ao gabinete da prefeitura. As principais preocupações são câmeras e câmeras integradas. Quantos empresários, quantas casas têm suas câmeras conectadas direto para rua? Sou a favor da integralização e termos mais câmeras. Há cerca de dois meses, três meses, chegou a informação de que teriam apenas duas câmeras funcionando

Temos que achar dinheiro e fazer com que os carros de seguranças circulem. Por fim, a segurança Municipal armada ela é efetiva, mas as pessoas precisam ser preparadas. Há controvérsias, mas no nosso plano de governo nós vamos buscar isso."


TRANSPORTE

"A Noiva do Mar tem feito um bate papo com todos os candidatos e eu fui recebida na última semana, quando foram dadas informações bem substanciais. Eu creio que a empresa acaba sendo prejudicada por questões políticas. As pessoas estão descontentes e precisamos criar outros modais, criar vínculos entre esse transporte; precisamos de um circular dentro do Cassino que venha para a cidade com valor menor; melhorar a qualidade do serviço; rever o DATC, não só PoA, mas alguma linha deficitária dentro da cidade.

Dar suporte aos aplicativos, regulamentá-los. Se precisar pagar taxa, vai pagar, mas precisa ter estrutura para trabalhar.

Outra questão que falo sempre, é que nós somos uma cidade de costas para o mar. Assim como temos o transporte aquático para São José do norte, nós poderíamos fazer esse atendimento para as ilhas, margear o entorno da cidade, temos um calado de 3 a 4 metros. Fazer trapiches de concreto que cheguem até a lancha. Estamos no século XXI as mudanças são necessárias. O projeto precisa sair do papel. Não inventamos roda, vemos projetos para tanto para transporte como para outras áreas em outras cidades. Precisamos avançar."


INFRAESTRUTURA

"Nessa caminha pelos bairros, como não sou política, vejo-me em uma situação muito desconfortável, não tenho arte de falar coisas e depois não cumprir. Vejo as pessoas falando ‘Ah, calçaram a rua, mas a rua alaga’, ‘Fizeram o esgoto, mas deixaram o calçamento’, Calçaram e agora a Corsan veio e deixou o buraco’. Está frisado no nosso plano de governo é que precisamos de secretários técnicos. Chega desta história de colocarmos políticos, pessoas que chegam a ganhar o dobro ou até o triplo daquilo que o servidor ganha. Servidores precisam ser valorizados, sabem como a máquina funciona.

Eu não estou aqui para fazer o que a maioria faz, muda a estrutura, muda o partido e as obras ficam paradas. Vamos finalizar o que tem que fazer. Precisamos fazer projetos, tem fundos, tem Banco Mundial, tem Banco Interamericano, tem projetos do governo federal, tem deputados para trazer."


TEMPO LIVRE

"Estamos chegamos a 40% dos bairros, explicando para as pessoas o que queremos. É muito difícil estar de fora, não sei nem como a essa prefeitura vai entregar o caixa. O que posso dizer é que o primeiro ano de execução de um prefeito, é pautado pelo último governo. População está cansada de ver obras que estão paradas. Esse é nosso compromisso, vamos continuar com as obras em ambulatórios, escolas, projetos. Não podemos confundir assistencialismo com assistência social. A assistência social não vai ser mudada, existem programas excelentes dentro da secretaria. O que vamos fazer é tirar secretários comissionários, gestão é melhorar o que está. emendas. Precisamos deste apoio vindo de fora, basicamente precisamos da estrutura vinda de um funcionário que deve saber tudo que está dentro da secretaria.

A minha linha de raciocínio está pautada na geração de emprego e renda. Um dos poucos secretários que teremos fora do grupo de servidores será o de Turismo e Desenvolvimento, . A indústria e o comércio clamam por isso, por alguém de visão, para que possa não estar fechado no gabinete, mas em feiras vendendo nossa cidade a nível estadual, nacional e internacional. A cidade não vai crescer se não trouxermos novas oportunidades. Outra ponto que as pessoas clamam é o turismo. A cidade está de costas pro mar. Não vemos avançar. Tu começa a caminhar pela rua e vê que as pessoas estão cansadas. Se eu não tiver dinheiro como vai ser, por isso eu acredito no turismo, no desenvolvimento. Precisamos ter um polo naval particular, sem entrada da parte pública. Não adianta trazer pequenos empreendedores, para chegar na prefeitura e ter uma mega burocracia para tirar um alvará.

Prefeitura é prefeitura, bombeiro é bombeiro, mas eles precisam conversar. Temos a questão das regularizações dos terrenos. Parece que te entre 7 e 8 mil terrenos para serem regularizadas. É necessário que a prefeitura tenha fiscalização e ordenação para a cidade crescer.

Outra questão, não adianta ser da ilha, ser humilde e não fazer nada por eles. Os ilhéus estão sem ajuda, não é possível que a pessoa esteja lá, passando mal, até o Samu. Uma ambulancha pode chegar em sete minutos. Isso é decência, é gestão.

Também quero dizer para as pessoas que além de ficha limpa eu não tenho venda de cargo, estão me desqualificando nas redes. Quero dizer que se der certo, no dia 1º de janeiro eu vou mostrar como se faz trabalho de gestão, se não der em 16 novembro eu estarei cuidando dos meus velhos. Nada vai mudar, eu não dependo deste rolo. Deixando claro que as pessoas estão cansadas, as pessoas não são bobas.

Somos em torno de 46 trabalhadores, somos um grupo de pessoas muito diversas, mas honestas, Não nenhuma pessoa ficha suja. Digo mais, estarei apoiando, não serei crítica de plantão que fica desdenhando.

As pessoas querem ouvir projetos, sem ataques. Fake news não estão com nada, lamento que alguns partidos estão usando isso. A política limpa, de mostrar a que viemos, vai dar muito mais certo."


Compartilhe